terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Choro...

Choro...
Choro quando me deito.
Quando estou só no meu quarto.
De que choro?
Não sei.
A vida tem coisas boas e más,
Alegrias e tristezas.
Têm acontecido coisas boas.
Mesmo assim choro.
De que choro?
Da felicidade? Dos momentos felizes?
Será?
Terei medo?
Medo de quê?
Não sei.
Só sei que choro quando me deito.
E continuo a chorar,
Até que o sono acaba por chegar
E o corpo pára de soluçar.
Boa noite para mim.


Escrito a 20 de Outubro de 2009, ás 18h50m.

3 comentários:

Vertice disse...

Primeira vez que vejo algo poético teu, amigo Carlos =)

DEsejo-te um grande 2010.

Passa no verticeredondo.wordpress.com

Lá tem um artigo que te deve interessar ;)

Carlos disse...

Há mais coisas poéticas pelo blogue, só uma questão de procurares nas etiquetas. Sim...já li...vamos ver como serão os Óscares...abraço e boas entradas.

Isa Mestre disse...

Gostei da profundidade e sinceridade das palavras. É musical este poema!